Arquivo

Em vida Edmundo Cardoso classificava os documentos segundo seu assunto ou procedência e acondicionava em pastas e envelopes. Após o seu falecimento, sua esposa Therezinha de Jesus Pires Santos, deu início à implementação do arquivo transferindo os documentos para uma sala específica para estes e realizou uma classificação empírica dos documentos. Em 2004, uma parceria com o curso de Arquivologia da Universidade Federal de Santa Maria permitiu a criação do primeiro projeto de arranjo e em abril de 2005 deu-se início a implementação de políticas arquivísticas no acervo documental.

O arquivo é formado por fontes de pesquisa de valor histórico-cultural do município de Santa Maria. Os documentos apresentam diversos gêneros: textuais, iconográficos, cartográficos, sonoros, audiovisuais e filmográficos, e que em sua maioria constituem os fundos e coleções do acervo.