A Escola de Teatro Leopoldo Fróes, além de organizar e encenar peças teatrais de grande sucesso entre os anos de 1943 à 1983, promovia outras atividades, dentro de suas finalidades culturais. Neste post relembramos os atos comemorativos promovidos em 1969 pela Escola de Teatro, em homenagem ao 79º aniversário de nascimento do poeta santa-mariense Felipe D’Oliveira. Constam no programa: a iluminação festiva da herma do poeta, inaugurada em 1935 na Praça Saldanha Marinho; a leitura dramática de uma peça escrita por Felipe, intitulada “Terra Cheia de Graça”, cujos intérpretes foram os atores Edmundo Cardoso, João Teixeira Porto, Cilon do Canto e Gilda May Cardoso; e uma palestra proferida pelo Dr. Zozymo Lopes dos Santos versando sobre a obra de Felipe, entre outras iniciativas. A peça mencionada passou por vários locais da cidade, inclusive em escolas, e em Alegrete, em julho de 1970. De acordo com registros feitos na época, de autoria de Edmundo Cardoso, o busto do poeta e o mural idealizado pela Escola de Teatro permaneceram iluminados pelos holofotes em cores da instituição durante 15 noites, no mês de agosto de 1969, e aproximadamente 30 mil pessoas desfilaram perante o monumento e tomaram conhecimento do mural. Veja alguns documentos que fazem parte do dossiê: Homenagem à Felipe D’Oliveira, da Série: Homenagens a artistas brasileiros, do Fundo Escola de Teatro Leopoldo Fróes. (por Greta Dotto)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios