Há aproximadamente 1 ano atrás faleceu Paulo Neron Rodrigues, conhecido como “Paulinho”,  e considerado o bilheteiro de rua, da Caixa Econômica Federal, mais antigo do Brasil. Participou como ator em todas as peças do gênero comédia infantil, encenadas pela Escola de Teatro Leopoldo Fróes: O Casaco Encantado (de Lúcia Benedetti, 1959); Pluft O Fantasminha (de Maria Clara Machado, 1960); O Cavalinho Azul (de Maria Clara Machado, 1963); Maria Minhoca (de Maria Clara Machado, 1968); A Revolta dos Brinquedos (de Pernambuco de Oliveira e Pedro Veiga, 1971 e 1972); Dona Patinha vai ser Miss (de Artur Maia, 1975 e 1976); Maroquinhas Fru-Fru (de Maria Clara Machado, 1978); Joãozinho anda pra trás (de Lúcia Benedetti, 1983). Em muitas outras peças, conforme registrado nos folhetos publicitários da Escola, colaborou nos bastidores. Em homenagem á sua memória, Gilda May Cardoso, que foi também atriz da Escola de Teatro, relembrou a trajetória de Paulinho nos palcos e na cidade:

“Em 1959, com a estréia da primeira peça infantil encenada pela Escola de Teatro, meu pai Edmundo Cardoso sentiu que era o momento de introduzir no repertório peças infantis, com a finalidade de formar futuras plateias. Participaste desse momento importante na vida teatral da cidade, deixando o teu nome ligado de forma permanente ao teatro infantil. Marcaste a vida de muita gente com a tua integridade e generosidade. Hoje, fazes parte da memória da cidade que te aplaudiu nos palcos e te admirou na vida.” Clique aqui para ver o depoimento na íntegra. (por Greta Dotto)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios